Importância do diafragma na dor lombar e sua relação com as vísceras




Acho que poucas pessoas pensaram na associação entre dor lombar e a influência do diafragma. Diafragma é o principal músculo da respiração e está localizado entre o tórax e o abdômen. É um músculo que se fixa nas costelas e na lombar, através dos pilares diafragmáticos (como um tendão).




O diafragma está em constante movimento, pois ele é o principal músculo da respiração. Também é bastante importante por dividir a cavidade abdominal e torácica. Por ele passam importantes estruturas como a veia cava e artéria aorta, além do nervo vago.


A artéria aorta possui ramificações que levam sangue para a pelve e para as pernas enquanto o nervo vago emite ramos que vão para o estômago, fígado e intestino.


Quando o diafragma está no seu estado normal não há interferência nessas estruturas. Se, por outro lado ele está encurtado ou em estado de tensão ele poderá exercer influência em posicionamento de costelas e da coluna e interferir na função das vísceras que são inervadas pelo vago. Ou seja, a função de estômago, fígado e intestino podem ser afetadas. Existe ainda uma outra ligação entre as vísceras e o diafragma que é dado pelas fáscias, um tecido que conecta essas estruturas. Há uma relação entre diafragma e fígado e diafragma e esôfago. Por isso que muitas vezes alterações no diafragma e/ou na coluna onde o diafragma se insere podem gerar alterações como por exemplo o refluxo.


Na coluna ele pode tracionar as vértebras lombares através da inserção do seu tendão nas vértebras lombares. Uma tração constante sobre a coluna pode acarretar em aumento da lordose na região tóraco-lombar e alterar as regiões de pressão da própria coluna.


Além disso, essas alterações diafragmáticas podem levar à fadiga do músculo, colaborando para uma respiração ineficiente e oxigenação inadequada dos tecidos. Isso a longo prazo pode causar dores e disfunções em vários lugares.


Por isso é bastante importante liberar esse músculo de foram a melhorar tudo o que já foi explicado acima. Para soltá-lo você pode associar algumas manobras e o movimento de respiração.


Deite-se confortavelmente e coloque as mãos sobre as últimas costelas de forma que os dedos toquem a parte do abdômen. Palpe com as pontas dos dedos as bordas das costelas (tem que colocar os dedos por dentro das costelas, o quanto for possível e dentro do seu conforto). Perceba se há pontos doloridos ou sensíveis.





Caso tenha dor pare um pouco nessa região e faça movimentos suaves de um lado para o outro com as pontas dos dedos até sentir que melhorou.

Em seguida coloque a palma da mão nessa região e a outra mão por cima. Faça uma pressão suave e mantenha por alguns minutinhos. Você pode sentir que sua mão esquenta. Isso ajuda a liberar os tecidos e tensões.


Continuando, trabalhe a respiração puxando e soltando o ar de forma prolongada – puxe em 4 segundos e solte em 6 segundos.

Isso pode ajudar a soltar um pouco as tensões desse músculo.


Após essas manobras e exercícios o seu músculo estará um pouco mais solto, porém lembre-se que isso é somente um auxílio e não descarta a atenção de um profissional qualificado para um tratamento de fato.


Qualquer dúvida entre em contato. Será um prazer te ajudar!


Espaço Uno - Pilates e Fisioterapia

Av. Ana Costa, 414 cj 52

Gonzaga - Santos

(13) 3349-4446 ou 98114-4446 (whatsapp)

0 visualização